Kinvo Artigos

Análise técnica dos mercados financeiros: o que é e os seus objetivos

Análise técnica dos mercados financeiros: o que é e seu objetivo

Compartilhe essa publicação

O que é uma análise técnica dos mercados financeiros? 

A análise técnica dos mercados financeiros, conhecida também como análise gráfica, utiliza o gráfico com o histórico de preços dos seus ativos para os seus estudos. Através dos movimentos realizados por investidores, esse estudo chega à conclusão sobre a venda ou compra de determinada ação.

A ideia principal é que movimentos passados podem se repetir no futuro. Ao entender o comportamento dos preços dos ativos ao longo do tempo, é possível imaginar que esses movimentos podem se repetir, criando assim oportunidades.

Um erro muito comum é achar que a análise gráfica faz previsão sobre o futuro comportamento de uma ação. Não podemos esquecer que sua premissa é de que os movimentos podem se repetir e que não são previsíveis, pois não são de forma nenhuma.

Assista também:

Análise técnica dos mercados financeiros: qual a sua origem?

teoria de dow

A análise técnica dos mercados financeiros iniciou-se através de Charles Dow, que começou a desenhar os gráficos das ações no papel. Naquela época, os gráficos precisavam ser feitos à mão.

A partir de seus estudos, foi criado a Teoria de Dow, que é base da análise técnica. Vamos falar dela mais abaixo neste artigo. Charles Dow também foi o fundador do The Wall Street Journal, uma das publicações do mercado financeiro mais famosas do mundo. Além disso, criou o índice Dow Jones, que foi alvo de sua pesquisa para estudos de mercado.

Teoria de Dow 

Para conseguir entender a análise técnica, é importante conhecer os seus fundamentos e, para isso, precisamos conhecer a Teoria de Dow. Vamos explicar cada um de seus tópicos com mais detalhes:

1. Os índices descontam tudo

Todos os elementos que podem mudar os preços das ações já estão descontados nesses índices. Os resultados das empresas, notícias, entre outros já estão precificados no índice – qualquer novidade não será alguma coisa nova para o mercado. Somente algo realmente inesperado não está nos preços dos índices, como, por exemplo, um acidente.

2. O mercado se move em tendência

As tendências podem ser de alta ou de baixa, divididas ainda em diversas tendências menores, podendo ser chamadas de primárias, secundárias e terciárias. As primárias são aquelas de longo prazo, que duram meses e anos. As secundárias podem durar semanas e até meses. Já as terciárias são as de curto prazo, durando apenas algumas semanas.

3. A tendência só muda quando surgir uma nova

Até que se confirme uma nova tendência, ela continua soberana. Sinais de mudanças precisam de confirmação para afirmar uma possível mudança de tendência.

4. Princípio da confirmação

Para confirmar uma mudança de tendência, é necessário que as ações juntas com seus respectivos índices coincidam com a mudança de tendência.

5. Volume

As mudanças de tendência devem ocorrer junto com um aumento no volume financeiro negociado pelos ativos. Volumes de baixa expressão apenas mostram que aquela mudança foi feita por poucos participantes e não como um “consenso” do mercado.

Tipos de gráficos 

Existem diversos gráficos utilizados para fazer os estudos de análise gráfica. Abaixo, seguem os seus principais:

Gráficos de linha:

Utilizados para ver rapidamente a movimentação dos preços e a sua tendência.

Análise técnica dos mercados financeiros

 

Gráficos de candlestick:

Esse é o tipo de gráfico mais popular entre os investidores de curto prazo, pois ele mostra especificamente qual foi a abertura, máxima, mínima e fechamento de cada pregão.

Análise técnica dos mercados financeiros

 

Gráficos de renko:

Esse é um gráfico mais recente, em que mostra os movimentos da ação. Fica muito fácil identificar as tendências de forma clara e tirar todo o “ruído“ que o gráfico pode passar.

Análise técnica dos mercados financeiros

 

Por que utilizar a análise gráfica?

A maioria dos investidores procuram utilizar a análise técnica para buscar ganhos de curto prazo.

Acredito que esse não é o caminho mais interessante para o investidor. Um estudo realizado pela FGV mostrou que 97% dos day traders, investidores que focam em ganhos no mesmo dia, perderam dinheiro. Então o seu uso não deve ser tão focado em estratégias de curtíssimo prazo.

Para um investidor comum identificar uma tendência em um ativo, o meio mais fácil é através da análise gráfica.

Quanto mais longa for essa tendência, maior a chance de ser duradoura. Então identificar as ações que estão em alta, na minha visão, é a melhor coisa que você pode fazer utilizando esse tipo de análise.

Investir focado no longo prazo aumenta as suas chances no mercado financeiro e a análise técnica – diferente do que muitos pensam – pode ser uma estratégia utilizada para auxiliar na sua decisão de investimento a longo prazo. Identificando as tendências de alta e surfando os seus movimentos, talvez seja um método atemporal.

Apesar de difícil execução, é uma estratégia mais do que validada ao longo dos anos. Então, se o seu foco é buscar tendências e investir nesses ativos, a análise técnica pode ser para você.

Leia também:

Petróleo no Brasil: análise técnica do setor para investimentos

Carteira de investimentos: 4 vantagens de analisar o seu portfólio

Buy & hold, swing trade e day trade: quais as diferenças entre as estratégias?

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar