Kinvo Artigos

Imposto de renda na bolsa de valores: evite 8 erros comuns

Imposto de renda na bolsa de valores

Compartilhe essa publicação

Imposto de renda na bolsa de valores: aprenda a evitar 8 erros comuns. Vamos lá?

Todos os investidores que operam na Bolsa de valores devem calcular imposto de renda mensal e pagar impostos sobre seus lucros não isentos. Se você chegou aqui, muito provavelmente já conhecia essa informação. Se ainda não conhecia, bem vindo ao clube dos investidores que pagam seus impostos! A

apuração mensal de resultados na Bolsa de Valores é uma rotina (ou pelo menos deveria ser) de quem opera na renda variável, e as dúvidas se estamos realmente fazendo do jeito certo são inevitáveis.

E engana-se quem pensa que os erros só atingem os novatos na B3! Mesmo os investidores mais experientes podem se atrapalhar com as regras e correm o risco de ter que pagar multas e juros. É por isso que a Akeloo preparou esse conteúdo para você! Nele, você vai aprender:

  • porque declarar e pagar seus impostos corretamente;
  • o que acontece caso o IR não seja pago;
  • quem deve apurar IR mensal;
  • quais são os principais erros cometidos pelos investidores?

 

Imposto de renda na bolsa de valores: a importância de declarar seus impostos corretamente

Por mais que a prestação de contas com o Leão seja cercada de mitos e desperte a insegurança de alguns, a lógica por trás da contribuição não tem muito segredo: é preciso declarar rendimentos e despesas, sem esconder nada da Receita Federal.

Afinal, o sistema de cruzamento de dados da RFB é capaz de detectar facilmente inconsistências entre a declaração e as movimentações financeiras de uma empresa ou pessoa física. Quando isso acontece, você pode ser chamado para se explicar ao Fisco, e aí sim começa a dor de cabeça. Melhor estar em dia com o IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física) do que tentar ser mais esperto do que a máquina pública. Para saber se você deve declarar Imposto de Renda no próximo ano, confira esse artigo.

 

Quem deve pagar Imposto de Renda mensal

Se você investe na Bolsa de Valores, é provável que tenha que pagar Imposto de Renda mensalmente. Quem opera na B3 deve sempre declarar suas ações, mesmo se só tiver tido prejuízos.

Pode ser novidade para os investidores de primeira viagem, mas algumas operações na bolsa são passíveis de tributação mensal. O Imposto de Renda sobre ações segue a alíquota estabelecida pela Receita Federal — 20% para Day Trade e Fundos de Investimento Imobiliário e 15% para o restante das ações. A cobrança de IR mensal é calculada de acordo com o valor total dos ativos vendidos.

Quem vendeu mais de R$ 20.000,00 em ações no período de um mês está sujeito à tributação. Não importa se a operação foi de lucro ou prejuízo em relação ao preço de compra; se você comprou R$ 18.000,00 em ações de Via Varejo na baixa e decidiu vender a mesma quantidade de ações por R$ 22.000,00 depois da alta, é necessário pagar o Imposto de Renda.

Da mesma forma, vender ações por um preço mais baixo do que o valor de compra não interfere no cálculo. O imposto não se baseia nos dividendos, mas no valor total das ações vendidas por uma única pessoa física. Isso quer dizer que o mesmo CPF pode vender até R$ 20.000,00 em ativos por mês, independentemente da quantidade de ações ou da operação ser realizada por corretoras diferentes. A dica, portanto, é vender menos do que este valor e/ou deixar as próximas vendas para o mês seguinte.

 

O que acontece quando o IR não é pago

Quando os dados declarados pelo contribuinte não batem com as informações obtidas pela Receita Federal, a declaração fica retida e o indivíduo não recebe a restituição do Imposto de Renda. É possível corrigir eventuais erros no informe feito ao Fisco – aprenda como.

Não declarar ou deixar de pagar o Imposto de Renda corretamente é uma forma de sonegação fiscal, um crime previsto na Constituição Federal e que pode levar a 5 anos de prisão. O sonegador também pode ter seu CPF pendente de regularização, o que dificulta consideravelmente qualquer movimentação financeira (abrir uma conta no banco, solicitar um empréstimo, comprar ou vender um imóvel, receber benefícios etc.).

Além disso, caso você deixe de pagar mensalmente o imposto devido de seus lucros em renda variável, você está incorrendo em multas e juros, que podem, comprometer, inclusive, seu lucro obtido com a venda de ações.  A multa para atraso é de 0,33% por dia (até 20%), e os juros representam a soma da taxa Selic desde a do mês seguinte ao do vencimento do imposto até a do mês anterior ao do pagamento, acrescentando-se a esta soma 1% referente ao mês de pagamento. Outra multa possível é a de ofício, que pode chegar até a 75% do valor do débito.

 

Quais são os principais erros cometidos pelos investidores envolvendo Imposto de Renda?

Você já sabe quem deve declarar anualmente o Imposto de Renda e se deve apurar mensalmente seus impostos em Renda Variável. Agora, que tal aprender com os principais erros cometidos pelos investidores para não cometê-los nunca mais?

 

1. Lembrar do IR apenas na época da Declaração Anual

A essa altura, você já deve ter percebido que não adianta investir na Bolsa de Valores e se preocupar com o Imposto de Renda apenas uma vez ao ano, não é? Caso tenha tido lucros tributáveis, é preciso apurar mensalmente o imposto e, ao não fazer isso, você pode desperdiçar todo o rendimento obtido ao longo do ano com o pagamento de multas por atraso e juros. Além disso, é muito mais complicado organizar os rendimentos e taxas acumulados do que mensalmente, principalmente se você opera em maior frequência.

 

2. Não contar com a isenção em operações normais

Invista com inteligência! Agora que você já sabe quem deve pagar imposto de renda mensal, aproveite a regra da isenção para eliminar tributações desnecessárias em determinados meses. Mas atenção! A isenção de R$20.000 só é válida em operações normais e ainda assim deve ser declarada!

 

3. Não compensar prejuízos

Você sabia que é possível compensar prejuízos na tributação do mês seguinte? Alguns investidores ainda não aprenderam a usar essa regra a seu favor e podem estar pagando mais impostos desnecessariamente.

Para aprender como fazer, confira esse artigo. Ele te ensinará o passo a passo para a compensação.

 

4. Não descontar custos operacionais

O Imposto de Renda em Renda Variável é tributado apenas sobre lucros líquidos. Isso significa que você não precisa pagar sobre seus custos operacionais.

Mas o que são os custos operacionais? São os custos que você teve para realizar as operações, como taxas de corretagem e taxas da Bolsa. Eles podem ser encontrados nas notas de corretagem ou nos extratos de sua corretoras.

 

5. Achar que o Imposto de Renda é cobrado sobre corretora

Que bom seria, não é? Mas não é o caso. O Imposto de Renda não é cobrado sobre suas operações em cada corretora, e sim sobre seu CPF. Lembre-se veementemente disso antes de apurar seus tributos!

 

6. Não considerar bonificações e desdobramentos

O cálculo do seu Imposto de Renda na Bolsa de Valores é cobrado de acordo com o preço médio de suas ações. Isso significa que ao receber bonificações e desdobramentos, o cálculo de sua tributação será um pouco diferente do que seria feito normalmente. Quer aprender a calcular o preço médio de maneira simples? Confira como fazer nesse artigo.

 

7. Desconsiderar o IRRF

Você já deve ter ouvido falar no Imposto de Renda Retido na Fonte, não é mesmo? Engana-se quem pensa, ao ver o valor do IRRF, que seu papel como investidor já está cumprido. O IRRF na Bolsa de Valores é um aliado útil da Receita Federal, pois facilita a verificação de inconsistências (é o chamado dedo duro), mas para o investidor é apenas uma antecipação feita pela corretora e não o exime dos cálculos.

 

8. Fazer tudo sozinho(a)

A tributação em renda variável pode ser confusa e atrapalhar muitos investidores na jornada por mais sucesso financeiro. Por isso, você sempre pode contar com ferramentas úteis comprometidas com a apuração correta de seus tributos e com seus lucros. Uma dica é a plataforma da Akeloo, especializada em inteligência tributária para investidores em renda variável. Com ela, você consegue calcular automaticamente seus impostos, gerar DARF acompanhar seus resultados e se preparar para a Declaração, sem necessidade de se preocupar às vésperas com documentos perdidos ou em ter que contratar um contador. Conheça aqui!

 

Conclusão

Os erros envolvendo Imposto de Renda na Bolsa de Valores são comuns, mesmo para os investidores mais experientes. Mas, agora que você já sabe quais são eles, pode evitá-los! Desejamos uma boa sorte – qualquer dúvida, nos contate em nosso perfil no Instagram!

*A Akeloo é sua calculadora de Imposto de Renda na Bolsa, ideal para Day Trade, Swing Trade e Buy and Hold. Conheça e transforme sua relação com a tributação em investimentos.

Essas informações foram úteis? Se você quiser gerenciar seus aportes financeiros de forma mais estratégica, conheça a plataforma do Kinvo!

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar