Kinvo Artigos

Conheça 3 formas de proteger seu patrimônio da inflação!

Compartilhe essa publicação

Se você acompanha os noticiários sobre economia, provavelmente ouve falar com frequência sobre a inflação. O assunto ganhou destaque em 2021 por causa do aumento da taxa inflacionária, que faz o seu poder de compra diminuir. Nesse sentido, é importante saber como proteger seu patrimônio.

Por ser um dos principais indicadores econômicos de um país, a inflação precisa ser entendida em relação a suas causas e efeitos. Dessa forma, é possível buscar estratégias para proteger seu dinheiro da desvalorização.

Considerando o contexto de alta da inflação, neste artigo você descobrirá 3 alternativas para manter seu patrimônio protegido com relação a esse movimento.

Continue a leitura e saiba mais!

 

O que é a inflação? 

Ao longo do tempo, a tendência é que os produtos e serviços mudem de preço. Em regra, eles ficam mais caros, fazendo com que o seu dinheiro perca poder de compra. A medida desse aumento contínuo e generalizado dos preços é chamada inflação.

No Brasil, o IPCA (Índice de Preços para o Consumidor Amplo) é o indicador econômico oficial para medir o aumento geral da inflação. Ele é calculado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) com base em uma metodologia que considera uma cesta de produtos.

Nela, são incluídos os principais setores que impactam a vida das famílias brasileiras. Entre eles, estão alimentação, transporte e habitação. Cada produto tem um peso específico no cálculo e o resultado é divulgado mensalmente.

Com isso, é possível saber se houve avanço ou recuo da inflação no último mês. A taxa inflacionária acumulada ao longo do ano representa o desempenho do período, que pode estar acima, abaixo ou dentro da meta estabelecida pelo Banco Central.

Portanto, a inflação serve para medir o aumento do custo de vida, mas também é utilizada de outras maneiras. Por exemplo, o Governo Federal usa essa taxa como fator de correção e atualização de salários.

 

O que faz a inflação ficar mais alta?

Depois de saber o que é inflação, é importante entender o que faz com que ela avance. Um dos principais fatores que tendem a influenciar o aumento dos preços é a oferta e demanda. Quando a taxa de juros está baixa, por exemplo, os consumidores têm acesso mais barato ao crédito.

Desse modo, eles podem gastar mais, fazendo com que os preços subam. Ainda, se houver redução na oferta, também é natural que o preço aumente, pois haverá produtos insuficientes no mercado para cobrir a demanda.

Outro ponto de atenção é o reajuste nos preços de um serviço ou produto, que pode afetar os demais. Considere o aumento do preço do diesel, por exemplo. Como o transporte de mercadorias no Brasil depende muito de caminhões que utilizam esse combustível, diversos itens são impactados.

Períodos de escassez de chuvas também podem afetar a produção de alimentos. Como consequência, o preço desses produtos tende a aumentar. Outra razão menos comum para o aumento da inflação é a emissão de papel-moeda.

Se o Governo Federal emite dinheiro em excesso, o consumo no país pode ser incentivado de forma desordenada. Logo, pode influenciar no aumento dos preços de bens e serviços.

 

Como o movimento impacta seu patrimônio?

Como você viu, a inflação faz o dinheiro perder valor ao longo do tempo. Assim, é fundamental que a sua remuneração acompanhe ou supere a taxa inflacionária para que seu patrimônio não se reduza com o passar dos meses e anos.

Nesse sentido, quem deixa os recursos financeiros parados na conta corrente, por exemplo, faz com que o montante se desvalorize com o tempo. Por esse motivo, é essencial investir o dinheiro poupado e ter uma boa estratégia para os seus aportes.

Afinal, existem alternativas que podem não acompanhar a inflação. Por exemplo, a poupança é uma alternativa tradicional, mas que oferece um baixo retorno e tende a perder para a inflação — especialmente quando a taxa está alta.

Na prática, isso significa que o seu patrimônio fica cada vez menor. Vale destacar que, ao avaliar a rentabilidade de qualquer investimento, é importante descontar a inflação. Assim, o resultado apresentado será o rendimento real, que mostra quanto realmente o seu dinheiro rendeu.

Diante disso, é possível perceber que a inflação é um dos fatores que consome parte da remuneração dos investimentos. Logo, se você não quer que o seu patrimônio diminua, é necessário pensar no possível resultado do aporte em relação à taxa inflacionária.

 

Quais são as 3 formas de proteger seu patrimônio da inflação?

Com essas informações, você entendeu a importância de ter estratégias que ajudam a proteger seu patrimônio dos efeitos negativos da inflação. Então confira 3 formas de evitar que seu dinheiro perca valor:

 

1. Faça investimentos

O primeiro passo para montar uma carteira de investimentos sólida é considerar o seu perfil de investidor e objetivos financeiros pessoais. A partir disso, você pode buscar alternativas no mercado que se alinham às suas necessidades e características.

No entanto, para que seu patrimônio cresça efetivamente, é essencial pensar também na inflação. Quando a taxa inflacionária está alta, você notará ainda mais o avanço dos preços e perceberá a importância de encontrar oportunidades que tragam rendimentos reais acima da inflação.

 

2. Conheça as alternativas adequadas

Para montar seu portfólio, é necessário conhecer as alternativas disponíveis no mercado. Por exemplo, uma forma de obter retornos acima da inflação com títulos de renda fixa é escolher aplicações com rendimento híbrido.

Nesse caso, é possível buscar alternativas com retorno atrelado ao IPCA mais uma taxa de juros, como é o caso do Tesouro IPCA+. Também existem alternativas de títulos privados com essas características, como:

  • CDBs (certificados de depósito bancário);
  • LCIs (letras de crédito imobiliário);
  • LCAs (letras de crédito do agronegócio);
  • Debêntures.

Já na renda variável, os riscos são maiores, mas as possibilidades de retornos também. Dessa maneira, os investimentos podem apresentar rentabilidade real superior, mas não há previsibilidade ou garantias quanto ao rendimento.

 

3. Diversifique os investimentos

Como visto, existem diversas alternativas de investimento que podem compor uma carteira com retorno real acima da inflação. Porém, é interessante diversificar o portfólio para obter um resultado mais consolidado.

Ao focar na variedade de investimentos e assumir diferentes riscos, é possível diluir esses perigos e aumentar o desempenho da carteira. Portanto, também há mais chances de conseguir resultados que superem a inflação no período — especialmente no longo prazo.

Agora você sabe o que é inflação e como ela afeta o seu dinheiro. Com essas 3 formas de proteger seu patrimônio, é possível desenvolver estratégias para manter o nível do seu poder de compra ao longo do tempo.

Quer preservar o patrimônio da inflação e montar uma carteira de investimentos sólida? Conheça os produtos disponíveis na plataforma do BTG Pactual digital para investir.

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar