Kinvo Artigos

Metaverso: o que é e como investir?

entenda o que é o metaverso

Compartilhe essa publicação

Você sabe o que é metaverso? Esse termo apareceu muito nos noticiários sobre os mercados financeiro e tecnológico na reta final de 2021. O aumento do interesse aconteceu após a movimentação que o Facebook, que agora se chama Meta, fez em torno do tema.

Esse cenário de potencial crescimento do metaverso fez despertar o interesse de muitos investidores. Por isso, pode ser vantajoso não apenas conhecer o funcionamento desse universo, mas também as principais formas de se expor a ele.

Assim, neste artigo você entenderá o que representa o metaverso e como investir nele. Boa leitura!

O que é o metaverso? 

Embora a nomenclatura possa soar complexa, o conceito por trás dela pode ser facilmente entendido. Metaverso é a criação de um mundo virtual, completamente imersivo, que permitirá às pessoas conviver e socializar por meios totalmente digitais.

Desse modo, a proposta seria levar os atuais contatos que acontecem por redes sociais, como o Instagram, para um novo universo. Para isso, os usuários poderão usar óculos de realidade aumentada, criar um próprio avatar e explorar o potencial que a tecnologia apresenta.

Assim, o metaverso pode permitir que pessoas criem um mundo novo e coexistam com o mundo físico. Essa expansão ainda está em seu início. No entanto, já há projetos que conseguem apresentar uma espécie de teaser sobre como serão as relações humanas no futuro.

Vale saber que, apesar de ter ganhado popularidade recentemente, o conceito de metaverso não é novo. O primeiro uso da ideia foi com o escritor norte-americano de ficção Neal Stephenson em seu livro “Snow Crash”, de 1992 — também conhecido como Nevasca, no Brasil.

O filme “Jogador N°1”, do diretor Steven Spielberg, também apresenta um cenário parecido com o da obra de Stephenson. O filme é uma adaptação do livro de mesmo nome, escrito em 2011.

Como o metaverso funciona? 

Mesmo parecendo um cenário futurista, o metaverso já faz parte do cotidiano de muitas pessoas. No entanto, a expectativa do mercado é que esse universo se desenvolva ainda mais.

Para que isso seja possível, três tecnologias assumem um destaque especial: realidade virtual, realidade aumentada e blockchain. Junto delas, também podem existir outros elementos, como a inteligência artificial.

A realidade virtual será o espaço digital que possibilitará o engajamento de pessoas — atualmente com os óculos específicos. Por sua vez, a realidade aumentada será responsável por combinar características de ambos os mundos — virtual e físico.

Já a tecnologia por trás das redes blockchain permitirá que as pessoas façam transações financeiras utilizando criptomoedas de forma segura. Ademais, os tokens não fungíveis (NFTs) servirão como os certificados de autenticidade dos ativos no metaverso.

Vale a pena investir no metaverso? 

Depois de saber o que é o metaverso, você viu que ele não é apenas uma previsão do mercado. Muitas empresas têm feito intensas movimentações e mostram que ele pode atingir grande potencial no futuro.

No entanto, para entender se vale a pena investir nele, é preciso considerar determinados aspectos. Confira alguns dos principais!

Perfil de investidor

Em primeiro lugar, é importante entender se o investimento no metaverso está alinhado com seu perfil de investidor. Mesmo que exista uma expectativa em volta dele, não há garantia de sucesso. Por isso, ter exposição ao metaverso pode ser mais adequado para investidores arrojados.

Objetivos e estratégias do investidor 

O segundo aspecto importante são seus objetivos financeiros. Para isso, é necessário traçar as metas que você espera alcançar com suas movimentações e definir um prazo para elas. Dessa maneira, será mais fácil visualizar o alinhamento dos investimentos com sua estratégia.

Como você viu, o metaverso está predominantemente relacionado ao mercado de tecnologia. Assim, é interessante saber se esse setor cabe em seu plano de investimento e se você realmente acredita no potencial dele.

Como investir no metaverso? 

Agora que você entendeu o que é e como funciona o metaverso, é importante saber como se expor a ele com investimentos. Afinal, o metaverso não é um investimento em si. Para fazer aportes ligados a ele, existem diversas alternativas que podem ser interessantes para a sua carteira!

Saiba mais!

NFTs e terrenos virtuais

É possível investir no metaverso diretamente com a compra de tokens não-fungíveis ou terrenos virtuais que podem estar disponíveis no universo online. Os NFTs consistem em certificados de autenticidade atribuídos para ativos digitais (que podem ser obras de arte, imagens, avatares, etc.).

Já os terrenos do metaverso são similares a loteamento de imóveis — mas exclusivamente digitais. Ambos contam com tokens que identificam sua exclusividade e podem ser negociados. Para fins de investimento, é possível comprar esses ativos com o intuito de vendê-los, caso eles se valorizarem.

No entanto, uma desvantagem dessas alternativas é a falta de regulação por parte da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) brasileira. Assim, os investidores ficam mais suscetíveis a golpes.

Ações de empresas de tecnologia

Outra das principais maneiras de investir no metaverso é com a compra de ações de empresas que estão atuando nesse mercado. Ao se tornar um sócio da companhia, você poderá se beneficiar do possível crescimento da tecnologia.

Além das ações, como muitas dessas empresas estão no mercado internacional, pode ser interessante analisar os brazilian depositary receipts (BDRs). Eles são certificados de ativos internacionais disponibilizados na bolsa de valores brasileira, a B3.

Um ponto positivo de investir em BDRs é se expor às ações internacionais sem precisar abrir uma conta de investimentos em outro país. O processo de investimento internacional direto, além de burocrático, costuma trazer mais custos para o investidor.

ETFs 

Os exchange traded funds (ETFs), ou fundos de índice, também são outra oportunidade para quem deseja investir no metaverso. Eles são fundos de investimento de gestão passiva que tem estratégia de replicar os resultados de um indicador do mercado.

Para isso, é comum que os gestores estruturem o portfólio do veículo com os mesmos ativos do benchmark. Dessa forma, você pode encontrar um ETF exposto a um indicador com foco no metaverso e em empresas de tecnologia.

Fundos de criptomoeda 

Como você viu, as criptomoedas são um elemento intrínseco ao metaverso. Por isso, ter exposição a elas pode ser uma maneira de participar dos movimentos dessa tecnologia. E isso é possível a partir dos fundos de criptomoedas.

Assim como os ETFs, eles também são veículos coletivos. Porém, costumam apresentar gestão ativa. Ademais, a e xposição às moedas digitais varia de acordo com a estratégia — podendo chegar a 100%. Portanto, é interessante analisar as características de cada veículo antes de adquirir cotas nas plataformas das instituições financeiras.

Como vimos, entender o que é o metaverso pode ser importante para seus investimentos. Afinal, essas inovações podem trazer impactos tanto para o seu cotidiano quanto para suas finanças. Assim, se você acredita no potencial do sistema, vale avaliar as alternativas disponíveis para se expor a ele!

Quer entender as principais tendências do mercado? Ative as notificações e acompanhe os artigos do Kinvo!

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar