Kinvo Artigos

O que é transferência de custódia e quando fazer?

O que é transferência de custódia e quando fazer?

Compartilhe essa publicação

Para fazer investimentos regulamentados no Brasil, é preciso contar com uma instituição financeira. Porém, o que nem todos os investidores sabem é que essa escolha não precisa ser definitiva. Afinal, a transferência de custódia permite levar seus investimentos para outra instituição.

Mas é interessante considerar em quais momentos a transferência faz sentido no seu caso. Ao identificar suas necessidades e buscar a melhor instituição de destino, você pode aproveitar melhor esse processo de mudança.

Quer saber mais? Neste artigo, você descobrirá quando a transferência de custódia pode ser adequada e como ela deve ser realizada. Confira!

O que é e como funciona a transferência de custódia?

A transferência de custódia consiste em um procedimento de mudança da instituição responsável por registrar e custodiar os investimentos. É o que acontece quando você muda de uma corretora para um banco de investimentos e leva seus investimentos para a nova instituição, por exemplo.

Esse processo também é conhecido como portabilidade de investimentos. Logo, você consegue mudar a instituição responsável pela sua carteira sem ter que resgatar os investimentos já realizados.

Entre as alternativas que podem ser transferidas, estão:

A transferência de custódia dos títulos do Tesouro Direto, de ações e de fundos da bolsa de valores é sempre viável porque eles ficam disponíveis para todas as instituições. Note, entretanto, que existem limitações em relação a outros investimentos.

Isso acontece, em especial, com fundos que são distribuídos apenas por determinadas instituições. Nesse caso, se o banco de investimentos de destino não tem esse fundo no portfólio, não será possível realizar a transferência de custódia.

Quando fazer a transferência de custódia?

Após compreender o funcionamento geral da transferência de custódia, é necessário entender quando vale a pena realizá-la. Em geral, o processo se torna interessante quando as condições da instituição atual são desvantajosas ou quando outra instituição apresenta características melhores.

Veja quais são os motivos principais para a mudança e confira o que é preciso analisar nesse processo de tomada de decisão!

Taxas e custos

Uma das razões para portabilizar os investimentos é a busca por taxas melhores. Por exemplo, investidores podem buscar novas instituições quando a corretora atual cobra valores elevados ou faz uma mudança na cobrança de encargos que a torna desvantajosa para o cliente.

Se esse é o seu caso, vale a pena analisar quais são os custos de investir com outra instituição. Existem situações em que a transferência de custódia permite pagar menos e até ter isenção sobre determinadas despesas.

Portfólio

Outra justificativa para a transferência de custódia é o portfólio de investimentos da instituição. Com um portfólio mais amplo, você terá maior poder de escolha para fazer o investimento na renda fixa e na renda variável.

Como consequência, pode se tornar mais fácil diversificar a carteira e, ao mesmo tempo, manter todos os investimentos em um só lugar. Por isso, é interessante verificar as opções da sua instituição e identificar se elas atendem às suas expectativas.

Plataforma

A experiência com a plataforma de investimento também pode ser uma razão para a troca de instituição. Afinal, a ferramenta utilizada interfere diretamente na facilidade de aporte e no atendimento às suas necessidades.

Assim, você pode migrar seus investimentos para uma plataforma mais intuitiva, célere e confiável — e que facilita o seu processo de alocação de recursos.

Atendimento

A qualidade do atendimento interfere na sua experiência com a instituição financeira e pode motivar a transferência de custódia. Contar com suporte especializado, por exemplo, pode ajudá-lo a investir melhor, com foco em suas necessidades.

Portanto, ainda que você não esteja insatisfeito com o atendimento atual, é importante avaliar esse critério. Se a outra instituição tiver condições diferenciadas nesse sentido, a troca pode ser vantajosa.

Quais são os impactos da transferência de custódia?

Como você viu, existem muitos motivos que podem justificar a portabilidade dos investimentos. Além de atender melhor às suas necessidades, realizar esse processo também pode gerar impactos positivos na sua carteira.

Quer ver? Imagine que você faça investimentos na bolsa de valores periodicamente, como em ações ou em fundos imobiliários. Se você optar por mudar para uma instituição com uma taxa de corretagem mais atrativa, haverá um custo menor para investir, certo?

Logo, sua capacidade de investimento aumenta e o retorno líquido da sua carteira pode ser favorecido. Afinal, cada pequena economia em uma operação se acumula ao longo dos anos, e pode se transformar em rentabilidade do aporte.

Outra vantagem da transferência de custódia é que, em uma instituição com portfólio mais amplo, a diversificação da sua carteira pode ser maior. Portanto, essa decisão pode ser útil para diluir o risco da sua estratégia.

Ademais, vale destacar o benefício da praticidade. Não é preciso se desfazer do investimento para trocar a instituição que realiza a custódia dele. Desse modo, você não precisará apurar e pagar impostos por conta dessa mudança, por exemplo.

A transferência de custódia envolve custos?

Agora que você entende os principais aspectos da transferência custódia, é hora de partir para uma dúvida bem comum: o custo da operação. A boa notícia é que a portabilidade acontece de maneira totalmente gratuita.

Nem a instituição atual e nem a instituição de destino podem realizar cobranças para a mudança de custódia. Assim, você consegue fazer a mudança quando desejar, sem que isso impacte o seu orçamento.

Como fazer a transferência de custódia dos seus investimentos? 

Caso você tenha interesse em transferir a custódia da sua carteira de investimentos, o primeiro passo é encontrar a instituição de destino. Para isso, avalie os critérios apresentados anteriormente e identifique qual banco de investimentos é mais interessante para as suas necessidades.

Após encontrar a nova custodiante para os seus investimentos, fale com a sua instituição atual. Você deverá preencher o formulário Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários (STVM) e apresentar a documentação solicitada pela empresa.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), a transferência da maioria dos investimentos pode levar, no máximo, 2 dias úteis, a partir da sua solicitação. Após a conclusão, sua carteira já estará em uma nova instituição.

Como você viu, a transferência de custódia é um processo que pode ajudá-lo a encontrar as melhores condições para o seu portfólio e estratégia de alocação. Portanto, se fizer sentido para as suas necessidades, vale considerar realizar a portabilidade dos investimentos.

Gostou de conhecer essa alternativa? Para contar com o maior banco de investimentos da América Latina, abra sua conta no BTG Pactual  e transfira a custódia da sua carteira para ele!

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar