Kinvo Artigos

A caderneta de poupança é ruim assim? Entenda seu rendimento

rendimento da caderneta de poupança

Compartilhe essa publicação

A poupança é o investimento mais popular do mercado brasileiro, já que mais de 30 milhões de pessoas a escolhem para alocar capital. Porém, uma análise sobre o rendimento da caderneta de poupança ajuda a questionar se essa é a melhor alternativa.

Na verdade, ao conhecer as regras dessa aplicação, é possível ver que ela apresenta desvantagens. Mas será que é tão ruim assim? Vale a pena conferir informações para tomar uma decisão mais informada e alinhada com as suas expectativas.

Na sequência, descubra quanto rende a caderneta de poupança e veja se ela é a melhor alternativa disponível!

Como funciona a poupança?

A caderneta de poupança é um investimento de renda fixa que funciona com a abertura de uma conta em uma instituição bancária. A partir disso, é possível realizar aportes livremente, assim como transferências e saques.

O rendimento é aplicado mensalmente, quando o depósito completa 30 dias. Além disso, a poupança é um investimento com liquidez diária, o que garante mais facilidade para sacar o dinheiro. Assim, os resgates podem ser feitos a qualquer momento.

A respeito da segurança, a poupança tem proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). A cobertura contra calote do banco é de R$ 250 mil por CPF e instituição, com limite global de R$ 1 milhão renovável a cada 4 anos.

Outro aspecto relevante sobre a poupança é o fato de ela ser um dos investimentos isentos de Imposto de Renda. Logo, não há cobrança de tributos sobre o rendimento obtido.

Qual é o rendimento da caderneta de poupança?

Apesar das características que podem parecer vantajosas, a rentabilidade da poupança é a sua maior desvantagem. Isso se deve às regras que ela apresenta. Desde 2012, o rendimento da poupança é dado em uma das seguintes formas:

  • se a Selic for igual ou menor que 8,5% ao ano, o retorno é de 70% da taxa + Taxa Referencial (TR);
  • se a Selic for maior que 8,5% ao ano, o rendimento é de 0,5% ao mês + TR.

Por conta das regras, os ganhos que podem ser obtidos com a poupança são muito limitados, sendo o máximo pouco mais de 6% ao ano. Além disso, o rendimento só é contabilizado após 30 dias do investimento. Então, se você resgatar antes disso, não terá nenhum juros do período.

Como a inflação e a Selic impactam a rentabilidade da poupança?

Conforme você conferiu, o rendimento da caderneta de poupança depende do movimento da Selic, que é a taxa de juros da economia brasileira. Quando ela aumenta, até 8,5% ao ano, o rendimento também se eleva.

Mas se a taxa for maior que esse limite, entretanto, o retorno da poupança se torna fixo. Ao mesmo tempo, é importante entender que a Selic é um instrumento da política monetária do Banco Central. Portanto, pode ser utilizada para controlar as condições econômicas, como a inflação.

Quando a inflação tem um comportamento de alta, é comum que a Selic se eleve. Desse modo, o crédito fica mais caro e o consumo é desestimulado. Assim, a inflação tende a desacelerar.

Porém, também vale saber que o avanço inflacionário representa uma perda do poder de compra e impacta os rendimentos. Nos investimentos financeiros, ela deve ser descontada do retorno nominal, dando origem à rentabilidade real.

A questão é que, quanto maior for a inflação, maior é o desconto. Considerando que o desempenho da poupança é limitado, se a inflação crescer acima dos ganhos por ela gerados pode haver uma rentabilidade negativa. Esse cenário é comum na caderneta e, na prática, gera perda de dinheiro.

Vale a pena investir na poupança?

Sabendo o rendimento da caderneta de poupança e quais são as regras de funcionamento, você pode notar que essa alternativa não é a mais interessante entre os investimentos. Isso porque a poupança não rende tanto e, em momentos de inflação alta, pode trazer perdas financeiras.

Em vez disso, faz mais sentido buscar investimentos com características semelhantes, mas com resultados melhores. Assim, você poderá tomar decisões mais estratégicas na hora de investir seu dinheiro e compor uma carteira de investimentos mais sólida.

Quais são alternativas de investimento à poupança?

Como a poupança não é a melhor opção para fazer seu dinheiro render, é importante conhecer quais são as outras possibilidades.

Para fazer a avaliação, comece identificando seu perfil de investidor, o qual indica seu nível de tolerância ao risco. Muitas vezes, quem investe na poupança tem um perfil mais conservador, por ser avesso a riscos.

Também é necessário pensar no objetivo. Se a intenção for guardar a reserva de emergência, por exemplo, é preciso buscar alternativas seguras e líquidas. Como não é apenas a poupança a oferecer esse tipo de característica, vale saber quais são as aplicações para investir.

A seguir, você descobrirá quais são os investimentos que se assemelham à poupança, mas oferecem um retorno melhor. Confira!

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título público emitido pelo Tesouro Nacional para que o Governo Federal possa captar recursos. Essa é uma modalidade pós-fixada e reflete o desempenho de 100% da Selic. Logo, rende mais que a poupança.

Outro ponto importante é que esse título é integralmente garantido pelo Tesouro. Por isso, tem o chamado risco soberano e é considerado o investimento mais conservador e seguro do mercado brasileiro.

Além disso, o Tesouro Selic conta com liquidez diária, devido à garantia de recompra pelo Governo. Logo, assim como a poupança, você pode resgatar o valor quando quiser.

CDB com liquidez diária

O certificado de depósito bancário (CDB) é emitido por instituições financeiras que desejam captar recursos. Se ele tiver liquidez diária, é do tipo pós-fixado. Portanto, rende uma porcentagem do Certificado de Depósitos Interbancários (CDI), que fica pouco abaixo da Selic.

Sobre a segurança, o CDB tem a mesma proteção da poupança. Desse modo, você pode investir com a mesma segurança e liquidez, mas com retorno mais elevado.

Fundo DI

Os fundos DI são fundos de investimento que focam em replicar o CDI. Para isso, investem a maior parte dos recursos em títulos públicos pós-fixados.

Apesar de o fundo, em si, não ter proteção do FGC, ele conta com a garantia do Tesouro para os títulos, o que aumenta a segurança. Esse fundo também oferece liquidez diária, permitindo o resgate no momento em que você desejar.

Como você aprendeu, o rendimento da caderneta de poupança não costuma ser tão interessante e, muitas vezes, não atende às suas expectativas enquanto investidor. Por isso, pode ser mais inteligente buscar outras opções da renda fixa que estejam alinhadas aos seus objetivos para alocar seu capital.

Gostou dessas informações? Para aproveitar uma variedade de produtos e ter todos os investimentos em um só lugar, conte com a plataforma free do Kinvo!

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar