Kinvo Artigos

O que são os setores defensivos na bolsa? Entenda!

setores defensivos na bolsa

Compartilhe essa publicação

Muitas pessoas deixam de investir no mercado acionário por temer os riscos presentes na renda variável. Porém, existem formas e estratégias para tentar reduzi-los. É o caso, por exemplo, de investir em ações de setores defensivos da bolsa de valores.

É comum que alguns papéis sejam afetados por notícias econômicas, políticas e eventos como crises, guerras, mudanças no preço do petróleo, minério entre outros. No entanto, existem ações que são mais resistentes a esses cenários.

Se você quer saber quais são esses ativos, continue a leitura. Neste artigo, você aprenderá o que são os setores defensivos da bolsa e como expor seu capital a eles!

Vamos lá?

O que é uma ação?

Antes de estudar o que são os setores defensivos, é pertinente conhecer a definição de uma ação listada na bolsa. Esse ativo representa a menor parte do capital social de uma companhia.

Para tanto, a empresa passa por um procedimento conhecido como IPO (initial public offering). Nele, a companhia abre seu capital para novos acionistas, que têm a oportunidade de comprar seus papéis na bolsa de valores.

Com isso, a empresa levanta capital para financiar seus projetos e expansão. Por outro lado, o titular de uma ação ganha o direito de participar dos resultados e dos riscos do negócio. Quando uma empresa tem lucros, ela poderá distribuí-los de diversas maneiras entre os seus acionistas — beneficiando o investidor.

O que são setores defensivos na bolsa de valores?

Para entender os setores defensivos da bolsa de valores, é importante aprender mais sobre essa instituição. A B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) é uma empresa privada que organiza, fiscaliza e administra a bolsa de valores brasileira.

Já o mercado acionário é dividido em classificações que permitem separar as empresas listadas de acordo com suas características. Um dos principais objetivos dessa divisão é viabilizar ao investidor uma visão ampla sobre as companhias que atuam no mesmo setor.

Isso porque as empresas podem ter um desempenho semelhante diante de um mesmo cenário econômico. Desse modo, o investidor poderá analisar a performance, as receitas e os fundamentos de cada empresa daquele setor para escolher a mais alinhada às suas expectativas de investimento.

Entre essas divisões, existem os setores defensivos da bolsa — também conhecidos como não-cíclicos. Eles são constituídos por empresas que não sofrem grandes influências pelos ciclos econômicos. Logo, quando a bolsa está em baixa, essas companhias podem não apresentar as mesmas quedas.

No entanto, quando a bolsa está em alta, os seus resultados também tendem a não ser muito expressivos. Por conta dessa maior previsibilidade, ter ações defensivas pode ser interessante para proteção de sua carteira de investimentos.

Quais as diferenças entre setores defensivos e setores cíclicos?

Como você viu, os setores defensivos também podem ser chamados de não-cíclicos. Contudo, é comum que surjam dúvidas sobre o que isso significa e qual seria a diferença para os setores cíclicos.

Na prática, empresas que pertencem aos setores defensivos prestam serviços que são considerados essenciais, como saúde, alimentação, energia elétrica, saneamento básico e telecomunicações. Logo, mesmo em tempos de crise, são serviços que continuam sendo relevantes para a população.

Desse modo, a tendência é que não surjam grandes mudanças quanto ao desempenho dessas empresas, seja com a economia em alta ou em baixa. Afinal, a demanda por esses tipos de serviços se mantém em patamares semelhantes em ambos os cenários.

Por outro lado, empresas que integram os setores cíclicos são aquelas que apresentam um desempenho correlacionado com os ciclos econômicos. Por exemplo, hotéis, restaurantes, indústria de automóveis, companhias aéreas, lazer, construção civil, etc.

Quando a economia do país está em alta, com baixas taxas de desemprego e inflação controlada, o consumo aumenta e companhias dos setores cíclicos conseguem ter um desempenho superior. Contudo, quando acontece o contrário, elas costumam ser impactadas negativamente.

Qual a importância dos setores defensivos para a carteira? 

Até aqui, você aprendeu o que são ações, os setores defensivos da bolsa. Agora, talvez esteja se perguntando qual a importância deles para sua carteira. Nesse caso, é válido ressaltar que o investimento em ações traz exposição aos riscos da volatilidade do mercado.

Contudo, como visto, empresas que prestam serviços considerados essenciais tendem a sofrer menos impactos dessas nuances do mercado. Assim, elas podem ajudar a manter a estabilidade de sua carteira.

Por exemplo, se o seu portfólio for composto apenas por ações de setores cíclicos, períodos de crise podem fazer com que você realize grandes perdas financeiras. Caso seja necessário resgatar o investimento, portanto, há possibilidades de perda.

Por outro lado, ao investir apenas em setores defensivos, há chances de não registrar perdas nesses períodos. Entretanto, nos ciclos econômicos favoráveis, os resultados podem não ser tão atrativos.

Dessa forma, pode ser interessante diversificar a sua carteira tanto com alternativas de setores defensivos quanto de ações de setores cíclicos. Assim, você tem a oportunidade de equilibrar os riscos e o potencial de ganhos independentemente do cenário da economia no país.

Como investir em ações defensivas? 

Ficou interessado em investir ações defensivas? O primeiro passo para ter acesso a elas é abrir uma conta em um banco de investimentos de sua confiança. Com ela, você poderá usufruir do home broker — a plataforma que insere o investidor no ambiente de negociações da bolsa.

Com a conta de investimentos aberta, faça o teste de suitability e descubra o seu perfil de investidor. Esse passo é essencial para verificar se você está disposto a correr os riscos da renda variável. Depois, trace seus objetivos e se planeje para conseguir fazer aportes regulares, de modo a potencializar seus resultados.

O próximo passo é pesquisar as empresas dos setores defensivos que despertem o seu interesse em investir. Nesse caso, a realização de uma análise fundamentalista será útil para comparar o resultado de diferentes companhias e escolher aquela que melhor atenda aos seus interesses.

Feita a escolha, será o momento de abrir o home broker fornecido pelo seu banco de investimentos. Nele, digite o código de negociação (ticker) da ação escolhida, indique a quantidade e o preço que deseja pagar. Por fim, lance a ordem de compra e aguarde a sua execução.

Caso haja uma contraparte interessada no preço ofertado, a ordem será executada e processada pela própria B3. Em poucos dias, os ativos serão adicionados em sua carteira de investimentos.

Agora que você viu o que são os setores defensivos da bolsa e como investir neles, terá mais condições de aumentar o nível de proteção de sua carteira. Contudo, não deixe de adotar diferentes estratégias para escolher os ativos mais adequados ao seu perfil e objetivos — e compor uma carteira cada vez mais sólida.

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar