Kinvo Artigos

Split: O que é e como funciona o desdobramento de ações?

Split: O que é e como funciona o desdobramento de ações?

Compartilhe essa publicação

Quem se interessa pelo mercado de valores mobiliários e pelo investimento em ações precisa conhecer os conceitos utilizados na área. Nesse sentido, entender o que é split de papéis é fundamental para identificar esse processo na sua carteira de investimentos.

Ele afeta o número de ações disponíveis no mercado — e na carteira dos investidores. Logo, é importante conhecer os impactos do split de ações para os investidores e saber como funciona esse procedimento.

A seguir, você entenderá o que é o split, como ele acontece e por que é tão importante conhecê-lo. Continue a leitura e aprenda!

O que é o split de ações?

O split é um procedimento também conhecido como desdobramento. Ele serve para que uma empresa listada na bolsa de valores aumente o seu número de ações em circulação sem, no entanto, emitir mais papéis.

Portanto, o split não pode ser confundido com um follow on. No caso da oferta subsequente de ações, há emissão de novos papéis. Já o desdobramento não modifica o percentual de capital de uma companhia aberto ao mercado.

Assim, no split há apenas um desdobramento das ações já existentes. Quando ocorre esse procedimento, o preço dos papéis diminui na mesma proporção em que seu número aumenta. Logo, você pode entender o split como uma divisão dos papéis que estão em circulação.

Imagine, por exemplo, que uma empresa tem 1 milhão de ações na bolsa de valores e realiza um split para aumentar para 2 milhões de papéis. Como não há o lançamento de mais ações, o número é obtido com o desdobramento daquelas já existentes.

Assim, se você tivesse 5 ações dessa empresa, custando R$ 100 no total, depois do split você teria 10 ações — valendo os mesmos R$ 100. Isso acontece porque o preço individual da ação muda. Desse modo, para o investidor, não há alteração no capital investido ou no próprio patrimônio.

Como esse processo funciona?

Você entendeu que o split de ações é uma divisão dos papéis de uma empresa que estão em circulação no mercado. Agora é preciso conhecer como funciona esse procedimento na prática. O split tem início por decisão da companhia.

Os gestores podem identificar que ele será benéfico para os papéis do negócio — principalmente ao deixar as ações com preço menor, visando maior liquidez e geração de mais negociações entre os investidores. Assim, na assembleia, serão decididas as regras sobre o split, sua proporção e data em que ele será realizado.

A partir da escolha pelo desdobramento e a proporção em que ele acontecerá, é marcado o prazo para que o evento ocorra. Depois, os acionistas devem ser avisados previamente sobre esse prazo e todas as regras que serão aplicadas ao split.

Na data estipulada, o desdobramento se dará automaticamente. Então não é necessário que o investidor se envolva ou realize nenhum tipo de procedimento. Como você viu, suas ações serão desdobradas de maneira proporcional.

É importante saber que o split não ocorre somente com ações. Ele também pode acontecer com outros investimentos negociados na bolsa de valores — como cotas de fundos imobiliários e fundos de índice (ETFs).

Por que o split ocorre? 

Depois de conhecer essas informações sobre o desdobramento de ações, é comum se perguntar por que ele é feito. Se o split não muda o capital aberto da empresa na bolsa e apenas aumenta o número de ações, quais são suas finalidades?

O processo tem uma consequência importante para o mercado: diminuir o preço das ações de determinada empresa sem modificar o capital negociável. A consequência prática dessa redução na cotação é aumentar a liquidez das ações.

Afinal, com o desdobramento, o papel se torna mais barato para os investidores, aumentando a acessibilidade para os interessados com menor capital para investir. Lembre-se de que, no mercado padrão, os papéis das companhias são negociados em lotes de 100.

Então se uma empresa tem ações cotadas a R$ 100 cada, para adquirir um lote seria necessário investir R$ 10 mil. Isso pode afastar diversos investidores e diminuir a liquidez dos papéis desse empreendimento.

Logo, o split diminui o preço de cada ação e permite que mais investidores acessem os papéis. Ademais, há uma percepção de mercado sobre as empresas que efetuam o split.

Geralmente, elas possuem um histórico de valorização, tendo em vista que as ações se tornaram mais caras. Dessa maneira, é comum que o interesse pelas ações também aumente devido a essa percepção.

Qual é a diferença entre split e inplit de ações?

Se você acompanha notícias e busca informações sobre o mercado de ações também já deve ter ouvido falar no inplit. Ele é outro mecanismo utilizado pelas companhias de capital aberto para alterar o preço de mercado de suas ações.

No entanto, o inplit realiza um processo contrário ao split. A ideia é agrupar os papéis já existentes na bolsa, aumentando o preço de cada um proporcionalmente. Desse modo, o inplit costuma ser utilizado quando a cotação das ações é menor do que a ideal.

Imagine que as ações de uma empresa são negociadas a R$ 0,40. Nesse caso, ela é considerada uma penny stock e qualquer movimento de preços pode indicar uma variação percentual importante. Se a cotação aumentar apenas R$ 0,10, por exemplo, a variação percentual será de 25%.

Isso pode trazer instabilidades no momento da negociação e reduzir o interesse dos investidores. Ademais, penny stocks deixam de compor muitos índices do mercado. Portanto, a empresa pode decidir pelo inplit, transformando um grupo de ações em apenas uma — elevando seu preço.

Por que é importante conhecer o split?

Você já entendeu o que é o split de ações e quais são suas diferenças para o inplit. Agora é preciso saber por que acompanhar esse procedimento é importante para os investidores. Em primeiro lugar, você deve ser capaz de entender se movimentos desse tipo acontecerem com suas ações.

Ademais, talvez o split traga mudanças que lhe interessem no mercado. Afinal, ao deixar ações mais acessíveis, ele pode gerar novas oportunidades para sua estratégia de investimento.

Por fim, você viu que o split é geralmente realizado por empresas mais sólidas, cujas ações geram interesse nos investidores — elevando sua cotação ao longo do tempo. Logo, ao buscar investir na bolsa, sua análise pode incluir esse aspecto para avaliar se uma ação faz ou não sentido para sua estratégia.

Conseguiu entender o que é o split de ações e como ele funciona? Agora será mais fácil de acompanhar seus papéis e identificar o movimento de split, caso ele aconteça. Para isso, você pode contar também com ferramentas que tornam esse processo mais fácil — como o Kinvo.

Se você quer continuar aprendendo sobre o mercado de ações, confira nosso post sobre a compra de papéis!

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar