Kinvo Artigos

Vida a dois: 5 dicas de finanças para casais

Vida a dois: 5 dicas de finanças para casais

Compartilhe essa publicação

A construção de uma vida a dois demanda o compartilhamento de ideias, hábitos e sonhos. No entanto, também é preciso saber como dividir as responsabilidades de maneira equilibrada, visando otimizar as finanças para casais.

Não é raro encontrar pessoas que têm certos bloqueios na hora de falar sobre dinheiro com seus parceiros. Contudo, sem transparência, será difícil estabelecer uma relação sólida ao longo do tempo — o que pode resultar em dificuldades financeiras.

Por isso, a seguir, você entenderá a importância de um bom planejamento financeiro e conhecerá 5 dicas que poderão ajudá-lo a organizar as finanças em conjunto e caminhar rumo à conquista de objetivos financeiros em comum!

Entenda por que um planejamento financeiro é importante

Quando uma vida a dois começa, é preciso se planejar para lidar com diversos obstáculos que surgirão pelo caminho. Um deles é a vida financeira do casal. Tanto os ganhos quanto as despesas deixam de ser dedicadas apenas a fins pessoais e passam a cumprir um papel coletivo.

Como resultado, os sonhos e os comportamentos de ambos estarão ligados. Logo, é preciso encontrar um equilíbrio por meio do diálogo — visando manter a possibilidade de realizados os planos individuais e as metas do casal.

Nesse contexto, um bom planejamento orçamentário é essencial, pois a situação econômica está associada ao bem-estar de ambos os parceiros. Isso porque dívidas e outras limitações financeiras costumam gerar tensão — sendo, inclusive, grandes causadores de crises no relacionamento.

Imagine que duas pessoas decidem que é hora de viverem juntas. Se um fizer muitas contenções enquanto o outro exagerar nos gastos, haverá uma desproporção. Esse cenário evidencia não apenas um desalinhamento financeiro, mas um desajuste em relação às atitudes de cada parte.

A falta de comunicação entre o casal tende a prejudicar as conquistas e expectativas de ambos. Afinal, como cada um adota um comportamento distinto, dificilmente será possível atingir uma meta e alcançar o sucesso financeiro.

Veja 5 dicas sobre como organizar as finanças para casais

Como foi possível perceber, traçar planos a dois pressupõe uma sintonia de mentalidades. Além disso, é preciso de compromisso no dia a dia para não comprometer o alcance dos objetivos financeiros. 

A seguir, confira 5 formas de planejar a vida financeira em conjunto!

1. Manter um diálogo aberto sobre ganhos e gastos

Transparência é um elemento vital à manutenção de um relacionamento. Isso permite que um conheça o outro integralmente, evitando situações desagradáveis no futuro. Quando se trata das finanças do casal, é indispensável que haja uma comunicação assertiva.

É preciso conversar sobre questões delicadas, mas fundamentais no dia a dia. Ou seja, é preciso falar sobre as dívidas, preferências de consumo, remunerações e economias. Dessa forma, o casal pode traçar um planejamento mais adequado, a fim de resolverem problemas e encontrarem o melhor caminho a seguir.

Ademais, se a pretensão é construir uma relação duradoura, o dinheiro não pode ser tabu ou um assunto eventual. Portanto, uma prática benéfica para o casal é ter momentos dedicados às finanças, dialogando e analisando ganhos e gastos para alinhar as práticas adotadas em relação ao dinheiro no dia a dia.

2. Controlar as movimentações financeiras em conjunto

Após estabelecer um diálogo franco sobre as finanças, o casal precisa controlar as movimentações financeiras. Todos os ganhos e gastos devem ser registrados — mesmo aqueles custos menores, como um lanche durante um passeio, por exemplo.

Afinal, essas informações servirão de base para tomar decisões mais adequadas em relação ao dinheiro. Ao identificar que os custos com estão muito altos, será possível traçar estratégias com o intuito de minimizar despesas. 

Por exemplo, se o custo com combustível estiver elevado, pode ser o momento de usar outros meios de transporte — como bicicleta, ônibus, entre outros. A mesma dinâmica vale para outros custos do dia a dia, como idas ao restaurante, por exemplo.

3. Dividir as despesas conforme a renda de cada um

É bastante comum que haja diferenças entre as rendas dos cônjuges, o que gera dificuldades em relação ao repartimento das despesas. Nesses casos, uma saída é compartilhar os gastos de forma proporcional.

Um exemplo seria separar as contas de modo que ninguém tenha mais do que 30% dos rendimentos comprometidos. Dessa forma, é possível estabelecer uma condição de equidade e evitar que uma das partes fique sobrecarregada — mantendo a harmonia do casal.

4. Construir uma reserva de emergência

Todos nós estamos sujeitos a imprevistos. Porém, mesmo que não seja possível prevê-los, existem formas de se prevenir. Uma delas é organizar as finanças e construir uma reserva de emergência. O recomendado é que esse montante seja equivalente a, pelo menos, seis meses das despesas mensais do casal.

A primeira atitude para alcançar essa meta é conhecer bem todos os gastos e entender a relação de ambos os parceiros com a renda. Afinal, é preciso que os recebimentos do casal sejam maiores que os custos mensais. Caso contrário, a tendência é acumular dívidas e chegar à inadimplência.

Para evitar essa situação, há diferentes alternativas, como adotar táticas de economia. Nesse caso, as possibilidades são cortar os gastos supérfluos ou minimizar o consumo. Diminuir as refeições fora de casa e trocar o plano de internet, por exemplo, são atitudes que podem fazer sobrar dinheiro no fim do mês. Buscar renda extra também é uma boa prática. 

Ao formar a reserva de emergência, por outro lado, também é preciso alocá-la em um investimento. Contudo, os aportes devem ser direcionados a opções com alta segurança e liquidez diária, para que o montante esteja disponível a qualquer momento, caso haja necessidade.

5. Estabelecer metas e planos a dois

Além das conquistas e condições individuais, elaborar planos de curto, médio e longo prazo em conjunto também faz parte da vida a dois. Aqui, não basta definir regras: cada parte deve assumir o compromisso de seguir a estratégia definida.

Caso o casal deseje juntar dinheiro para comprar um imóvel, é preciso que os dois trabalhem com o intuito de alcançar esse objetivo. Lembre-se de que, se uma pessoa não cumprir a sua parte, o casal dificilmente terá condições de conquistar os resultados que planejou.

Novamente, o diálogo e a disciplina são fundamentais. Para alcançar as metas, por exemplo, é possível definir com quanto cada um pode contribuir mensalmente. Assim, ao controlar as finanças e separar os valores conforme os objetivos, o casal terá mais chances de realizar seus sonhos — dos mais simples aos mais elaborados — ao longo do tempo.

Como foi possível perceber com essas 5 dicas, as finanças para casais não precisam ser um problema ou um tabu. O diálogo, a transparência e o planejamento do orçamento podem ajudar a construir uma vida a dois com sucesso, bem-estar e estabilidade. Então vale considerar as orientações e colocá-las em prática!

Precisa de ajuda no momento de realizar o controle financeiro e conquistar os objetivos do casal? Então conte com o aplicativo BTG Finanças+!

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar