Kinvo Artigos

IR na Bolsa de Valores: por que acompanhar mensalmente?

Para falarmos do IR na Bolsa de Valores, queremos dizer que em 2019, a Bolsa de Valores atingiu 1 milhão de investidores pela primeira vez

Compartilhe essa publicação

IR na Bolsa de Valores: tudo o que você precisa saber

Para falarmos do IR na Bolsa de Valores, queremos dizer que em 2019, a Bolsa de Valores atingiu 1 milhão de investidores pela primeira vez. Você é um deles? A popularidade da renda variável cresce a olhos vistos, grande parte motivada pelas promessas de alta rentabilidade.

Mas, com a popularidade, surgem também as dúvidas dos novos investidores relacionadas com o Imposto de Renda na Bolsa: quem tem isenção? Qual é a alíquota do imposto? Devo acompanhar mensalmente?

Não são apenas os investidores iniciantes que sofrem com essas dúvidas. Muitos investidores experientes ainda não reconhecem o processo de acompanhar a tributação como uma parte essencial de investir. Como consequência, podem se ver às voltas com multas e outras complicações pela falta de conhecimento sobre o Imposto de Renda na Bolsa. Alguns pensam que apenas traders precisam acompanhar a tributação mensal, o que não é verdade.

Neste artigo, você vai aprender:

    • quem deve pagar Imposto de Renda mensalmente
    • por que acompanhar seus impostos na Bolsa
    • como calcular o Imposto de Renda mensal

Continue lendo e aprenda mais.

 

Quem deve pagar IR mensal?

Se você investe na Bolsa de Valores, é provável que tenha que pagar Imposto de Renda mensalmente. Quem opera na B3 deve sempre declarar suas ações, mesmo se só tiver tido prejuízos. Neste caso, as perdas podem até ser compensadas com a declaração anualmente, o que é um grande incentivo para regularizar sua situação tributária.

Pode ser novidade para os investidores de primeira viagem, mas algumas operações na Bolsa são passíveis de tributação mensal. O Imposto de Renda sobre ações segue a alíquota estabelecida pela Receita Federal – 20% para Day Trade e Fundos de Investimento Imobiliário e 15% para o restante das ações. A cobrança de IR mensal é calculada de acordo com o valor total dos ativos vendidos.

Quem vendeu mais de R$ 20.000,00 em ações no período de um mês está sujeito a tributação. Não importa se a operação foi de lucro ou prejuízo em relação ao preço de compra. Se você comprou R$ 18.000,00 em ações de Via Varejo na baixa e decidiu vender a mesma quantidade de ações por R$ 22.000,00 depois, na alta é necessário pagar o Imposto de Renda.

Da mesma forma, vender ações por um preço mais baixo do que o valor de compra não interfere no cálculo. O imposto não se baseia nos dividendos, mas no valor total das ações vendidas por uma única pessoa física. Isso quer dizer que o mesmo CPF pode vender até R$ 20.000,00 em ativos por mês, independentemente da quantidade de ações ou da operação ser realizada por corretoras diferentes.

Vale ressaltar que o limite de R$ 20.000,00 para isenção é apenas em operações normais. Se você opera em Day Trade, mercado futuro e de opções, não há isenção no IR mensal (independente do valor vendido), sendo obrigatória a apuração e pagamento. 

 

IR na Bolsa de Valores: Por que acompanhar seus impostos?

1- Ficar em dia com a Receita

Se você não se encaixar na isenção de IR, deve apurar seu imposto mensalmente. Caso contrário, pode ter que enfrentar multas e juros que podem ser pesadas e comprometer, inclusive, seu lucro obtido com a venda de ações.

A multa para atraso é de 0,33% por dia (até 20%), e os juros representam a soma da taxa Selic desde a do mês seguinte ao do vencimento do imposto até a do mês anterior ao do pagamento, acrescentando-se a esta soma 1% referente ao mês de pagamento. Outra multa possível é a de ofício, que pode chegar até a 75% do valor do débito.

Isso significa que só deve acompanhar e apurar o Imposto de Renda mensalmente quem vende mais de R$ 20.000,00 ao mês em operações normais ou quem opera em Day Trade, mercado futuro e de opções?

Não. Acompanhar seu Imposto de Renda na Bolsa é tão importante quanto fazer acompanhamento mensal de sua carteira de investimentos – e eu vou te contar o porquê agora. 

 

2. Controlar custos

Apurar seu IR mensal ajuda a ter maior controle de seus custos, tanto custos operacionais (taxas de corretagem, emolumentos) quanto o preço médio de suas ações, e acompanhá-lo é importante para determinar se você está comprando ações por um preço justo de mercado e para determinar quanto você teve de lucro líquido.

 

3. Compensar prejuízos

Prejuízos acontecem, e fica mais fácil compensá-los e entender o abatimento de lucros que seriam tributados quando seu acompanhamento de impostos está em dia.

 

4. Ajuda na Declaração Anual

Muitos investidores deixam para se preocupar com o Imposto de Renda apenas quando a declaração anual se aproxima, principalmente os que obtêm isenção mensal do pagamento do tributo na Bolsa de Valores. Essa, entretanto, não é a melhor estratégia. Deixar para a última hora pode ser confuso e você pode se perder com tantas informações. Se você acompanha seus impostos mensalmente, já tem todas as informações necessárias para a sua declaração em um lugar só.

 

5. Fazer balanceamento de carteira

Você já faz balanceamento de carteira? Essa é uma estratégia importantíssima na vida do investidor para montar uma carteira exposta ao risco e ao nível de recompensa que melhor se encaixa com o seu perfil de investidor.

Acompanhando seus impostos mensais, você pode se reposicionar sem pagar impostos (ou pagando o mínimo possível) e ainda se assegurar com o reposicionamento, garantindo que sua carteira permaneça fiel aos seus objetivos e que você continue em dia com os impostos.

 

6. Otimizar impostos

Cada centavo de lucro vem com muito esforço, não é? Nós sabemos disso. E justamente por esse motivo não vale a pena pagar impostos desnecessários, desperdiçando lucro obtido com seus investimentos. Acompanhando mensalmente o Imposto de Renda na Bolsa, você consegue pagar o valor exato, nem mais nem menos.

IR na Bolsa de Valores: Como calcular o imposto de renda mensal?

Agora que você já sabe da importância de acompanhar e apurar seu Imposto de Renda mensalmente, deve estar se perguntando como calculá-lo, não é mesmo? A apuração e o cálculo são compostas pelas seguintes etapas:

  • determinar o preço médio de suas operações;
  • apurar o lucro/prejuízo;
  • compensação de prejuízos anteriores;
  • compensação de IRRF;
  • gerar e pagar DARF.

Mas você não precisa passar por todas elas sozinho – pode automatizar o cálculo e não se preocupar mais com o assunto.

Além da praticidade e confiança de delegar a sua tributação na Bolsa para quem entende do assunto, você também conta com o benefício de participar de uma comunidade focada em impostos sobre investimentos e enxergar a sua carteira de investimentos de outra maneira.

Para isso, você pode contar com a Akeloo, calculadora de Imposto de Renda na Bolsa. Além de oferecer um cálculo seguro e otimização de seus tributos, você pode tirar suas dúvidas diretamente com uma equipe especializada e participar de uma comunidade de investidores. Conheça. 

 

IR na Bolsa de Valores: conclusão

Acompanhar seu Imposto de Renda mensal na Bolsa de Valores é mais do que apenas uma estratégia de day traders. Quem quer investir com sucesso e lucrar mais deve estar atento(a) à tributação.

*A Akeloo é sua calculadora de Imposto de Renda na Bolsa, ideal para Day Trade, Swing Trade e Buy and Hold. Conheça e transforme sua relação com a tributação em investimentos.

 

 

Leia também:

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar