Kinvo Artigos

Como investir na bolsa americana? Confira o passo a passo!

Como investir na bolsa americana? Confira o passo a passo!

Compartilhe essa publicação

Para aproveitar oportunidades internacionais de modo direto, é válido aprender como investir na bolsa americana. Na verdade, o mercado norte-americano é composto por duas bolsas de valores principais: a New York Stock Exchange (NYSE) e a National Association of Securities Dealers Automated Quotations (Nasdaq). 

Para explorar os ambientes, você deve ter atenção com mudanças importantes que acontecem ao decidir comprar ações e outros instrumentos financeiros fora do Brasil. Dessa forma, será possível usufruir das vantagens do investimento nos Estados Unidos sem enfrentar problemas.

Na sequência, confira o passo a passo para investir na bolsa americana e entenda quais são os pontos a considerar nessa jornada!

Por que investir na bolsa americana?

Antes de entender como participar do mercado americano, é importante compreender as vantagens dessa decisão. Na prática, investir na bolsa americana significa ter acesso a um mercado de capitais muito diverso, com milhares de alternativas — que contemplam diferentes estratégias.

Logo, você encontrará ações de grandes multinacionais, bem como cotas de fundos de investimento de renda fixa e variável, por exemplo. Ainda, é possível negociar no mercado de opções, composto por derivativos que podem ser úteis em operações estruturadas.

Ademais, há maior liquidez, já que o volume de negociações nas bolsas americanas é o maior do mundo. Assim, na hora de vender um ativo, um derivativo ou uma cota de um fundo de investimento, você terá menos dificuldades para realizar a operação.

Outra vantagem do investimento internacional é a diversificação de carteira. Em vez de ter todos os seus recursos atrelados ao mercado brasileiro, parte do seu patrimônio fica exposta ao cenário internacional. Assim, há como se proteger de crises internas.

Ainda, você passa a ter exposição cambial no seu patrimônio. Desse modo, é viável se blindar dos impactos da alta do dólar, já que uma porcentagem do seu portfólio fica dolarizada.

É preciso saber inglês para fazer esse investimento?

Agora que você sabe como pode ser benéfico participar do mercado americano, é interessante responder a algumas dúvidas que surgem sobre o assunto. Uma delas envolve a questão do idioma e a possível necessidade de se comunicar em inglês.

A princípio, não é obrigatório falar outra língua para investir, ainda que você precise abrir uma conta internacional. Isso porque existem instituições financeiras nos Estados Unidos que oferecem todo o suporte em português, por exemplo.

No entanto, conhecer o idioma é válido para avaliar os dados divulgados por empresas e fundos, acompanhar notícias e executar certas operações. Então não é preciso ser fluente, mas conseguir compreender o idioma — ainda que parcialmente — poderá ajudá-lo na hora de investir.

Os impostos cobrados são diferentes?

Para investir na bolsa americana, também é importante saber como são cobrados os impostos. Nesse caso, existem algumas diferenças em relação ao investimento nacional. Por exemplo, quem aporta no mercado de ações dos EUA tem um limite de isenção maior para o Imposto de Renda (IR).

Na bolsa brasileira, o ganho de capital com ações tem tributação de IR se as vendas ultrapassarem o volume de R$ 20 mil em um mês. Já nas ações negociadas nos EUA, o limite é de R$ 35 mil. Assim, é possível ficar isento ao negociar dentro desse valor.

Contudo, outra diferença na tributação não é vantajosa: nos EUA, não há a isenção sobre os dividendos. Diferentemente do Brasil, podem ocorrer cobranças de imposto sobre dividendos no mercado americano — e elas costumam ser de 30%. 

No caso dos proventos, normalmente o valor a ser cobrado é retido na fonte pela instituição. Mas é preciso ficar atento, pois o IR de algumas negociações precisa ser pago via carnê-leão. Ademais, lembre-se de que será preciso incluir os investimentos no exterior na declaração anual de IR.

Como é o passo a passo para investir na bolsa americana?

Até aqui, você viu pontos importantes sobre o investimento na bolsa americana. Agora, é o momento de entender como realizar esses aportes para negociar ações, cotas de fundos de índice, derivativos e mais.

Confira o passo a passo para colocar em prática e saiba como investir diretamente nas bolsas de valores dos Estados Unidos!

Entenda o seu perfil de investidor e os seus objetivos

Antes de tomar qualquer decisão, é essencial conhecer seu perfil de investidor. Vale lembrar que o investimento na bolsa americana é de renda variável e envolve riscos diferentes dos brasileiros — como aqueles que surgem pela exposição cambial.

Por isso, é preciso avaliar se você tem tolerância condizente com esses riscos. Ainda, considere seus objetivos financeiros. A exposição à bolsa de valores, nacional ou internacional, é mais alinhada ao longo prazo — devido à possibilidade de maturação dos investimentos e diluição dos riscos.

Abra uma conta em uma instituição financeira dos Estados Unidos

Após concluir que o investimento internacional faz sentido para você, é necessário abrir conta em uma instituição financeira que dará acesso ao mercado americano. Esse processo pode ser feito pela internet, o que aumenta a praticidade.

Para completar o cadastro, tenha atenção a quais são os documentos exigidos e envie-os corretamente. Assim que a conta estiver aberta, faça um depósito em dólares para começar a negociar no mercado dos Estados Unidos.

Em alguns casos, é preciso fazer a conversão cambial por conta própria para realizar o depósito. Em outras situações, há como executar a operação de câmbio diretamente na instituição financeira na qual você abriu sua conta de investimentos.

Escolha em quais ativos deseja investir

Depois que o dinheiro estiver na sua nova conta, você pode acessar o home broker e escolher onde investir no mercado americano. Como vimos, as alternativas são muitas — entre ações, cotas de fundos e outros instrumentos e veículos financeiros.

Vale destacar que, ao emitir a ordem de compra, é possível adquirir apenas uma fração de um ativo no mercado americano. Então você pode definir o quanto pretende destinar para cada investimento, de modo a diversificar a carteira e atender à sua estratégia.

Utilize uma ferramenta para consolidar os investimentos

Depois de investir na bolsa americana, é essencial saber como acompanhar a performance dos seus ativos internacionais. Para simplificar o processo e reunir as informações do Brasil e dos EUA, vale a pena recorrer a um consolidador de investimentos.

Com o Kinvo, é simples incluir ativos americanos e conhecer, em reais, qual é o valor total do seu portfólio. Dessa forma, há como ter uma visão integrada dos resultados — o que ajuda a tomar decisões de investimento com maior embasamento.

A partir desse passo a passo, você aprendeu como investir na bolsa americana e aproveitar as oportunidades do mercado externo. Se essa estratégia fizer sentido para seus objetivos, não se esqueça de consolidar investimentos nacionais e internacionais para ter mais controle sobre o desempenho da carteira e sobre o seu patrimônio.

Essas dicas foram úteis? Se quiser ter total visibilidade sobre o seu capital, conheça o Kinvo e avalie a performance dos seus investimentos brasileiros e americanos em um só lugar!

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar